quarta-feira, 8 de abril de 2009

História em fotografias XI


Fotografia. Jean Pierre Andrieux

5 comentários:

fangueiro.antonio disse...

Boas.

Extraordinário o passado deste lugre. Quem não o conhecer ou ao seu passado nunca acreditaria ao ver estas fotos, que "nasceu" em 1937 com 4 mastros e velas, de silhueta totalmente clássica.
Esta adaptação para redes de emalhar é de ficar boquiaberto e como já cá vimos noutras fotos da mesma altura, o quão desiquilibrado ficou. Este design de casco é para veleiros e nada diferente disso.

Fotos antes nunca vistas e agradecemos por isso. Espero que o interior do SMM seja decorado com a história do seu passado, com fotos como estas.

Atentamente,
www.caxinas-a-freguesia.blogs.sapo.pt

Gonçalo Pereira de Melo disse...

Queria deixar um voto de louvor à empresa Pascoal e filhos pela aquisição do ARGUS. Julgo que com o tempo, vai valer a pena o desejado restauro.
Pena os nossos governantes não terem a visão de determinados individuous!!!
Bem haja Pascoal

t4urus disse...

Irreconhecível!

=)

frederico.almada@gmail.com disse...

Caros responsáveis pela aquisição e recuperação dos navios Sta Maria Manuela e Argus

Como Biólogo, Professor Universitário e navegador de muitas milhas a bordo do NTM Creoula não quis deixar de louvar o empenho que têm tido nesta tarefa de revisitar a nossa história recente e de dotar o nosso País de navios que podem ter um utilidade fabulosa a diversos níveis. Temos tido uma colaboração excelente e frutuosa ao longo dos últimos 3 anos, com a publicação de muitos trabalhos, graças às campanhas oceanográficas que realizámos a bordo do NTM Creoula e conhecemos bem o potencial destes navios para a realização de trabalhos científicos.
Desejo a melhor sorte para os trabalhos que venham a desenvolver, para já, com o Sta Maria Manuela.

Com os melhores cumprimentos e os meus parabéns à empresa Pascoal e Filhos,

Frederico Almada

Joaquim disse...

Gostei francamente da ideia da recuperação deste navio. Recordo-o com muita saudade. Enviarei uma fotografia da réplica que está na minha família.

Cumprimentos

Joaquim Correia Botelho