sexta-feira, 30 de novembro de 2007

Fotografias Novembro III




Fotografias. João Margalha


Com o SMM no coração...

O nosso convidado da rubrica “Com o SMM no coração…” é esta semana o Capitão António Marques da Silva. Fez o curso Geral de Pilotagem Náutica na Escola Náutica de Lisboa e posteriormente o curso de Capitão da Marinha Mercante. Embarcou em vários veleiros de pesca de bacalhau, nomeadamente no Creoula, Argus e Gazela Primeiro.Em 1981 foi convidado para supervisionar os trabalhos de adaptação do lugre Creoula a navio-escola.Está representado no Museu Marítimo de Ílhavo com vários modelos de navios e trabalhos de marinharia. É também autor de diversos livros sobre a pesca do bacalhau, de grande rigor técnico e emocionante estilo literário. Um Homem com o mar no coração e o coração no Santa Maria Manuela.

Qual a importância que atribui à recuperação do lugre Santa Maria Manuela?
Como foi grande a satisfação que senti quando tive conhecimento que o “Santa Maria Manuela” ia começar a ser recuperado! Esta estirpe de veleiros tem colada em si tão grande nobreza de alma que, no meu entender, não podem acabar morrendo aos poucos, amarrados ao cais. Ou recuperados como velhos heróis que se estimam, ou deixa-los ficar no fundo do mar, que tão bem conheceram e com quem partilharam orgulhosamente dias bons e maus. O “St. Maria Manuela” alcançou um amigo que gostou dele e que resolveu dar-lhe uma mão para o ajudar a sobreviver. Como é tão bom ter um amigo!

Quais são as suas expectativas futuras?
A evolução dos trabalhos que tenho vindo a observar, alegram-me e animam-me, porque mesmo pousado nos picadeiros da doca seca, o navio já voltou a sorrir, a quem para ele olhar com atenção. Como estes navios tem alma! Como eles conhecem os seus amigos! Não sei se ele precisará da minha ajuda, mas se assim for, pode estar certo que tem mais um com que contar. Para o futuro que aí virá, eu desejo a este nobre veleiro as maiores venturas. Ao seu novo armador, eu rogo que continue com a coragem, o ânimo e a determinação que o levaram a deitar mão a esta grande obra. Ver novamente este navio aparelhado e armado, saindo a barra, levando a bordo grupos de jovens e de amigos das coisas do mar, será para mim uma grande satisfação. Para eles, estou certo que em nenhum outro lugar é possível receber tão fortes e inesquecíveis emoções e específicos ensinamentos que só o convés de um veleiro pode proporcionar.
Capitão AntónioMarques da Silva

sexta-feira, 23 de novembro de 2007

João Margalha fotografa o Santa Maria Manuela

João Margalha é o fotógrafo convidado para acompanhar a recuperação do navio. Todas as semanas executa um levantamento das principais fases do avanço dos trabalhos.Nasceu em 1966 no Barreiro, vivendo e trabalhando em Aveiro.É licenciado em Planeamento Regional e Urbano (1991) e Mestre em Planeamento e Projecto do Ambiente Urbano (2003).Iniciou a prática artística em 2003. Participou em várias exposições individuais e colectivas, nomeadamente nos “Rencontres Internationales de la Photographie” em Arles (França) em 2005. No mesmo ano, foi vencedor do Prémio Fnac Novo Talento Fotografia. Recebeu também uma menção honrosa da 9º Bienal de Fotografia de Vila Franca de Xira.

Fotografias Novembro II

Retirada a madeira totalmente inaproveitável...

Convés totalmente revestido a chapa para posterior assentamento do revestimento em ripado de madeira.

Fotografias. Aníbal Paião

sexta-feira, 16 de novembro de 2007

Fotografias Novembro I


Fotografias. Aníbal Paião

Com o SMM no coração...

Hoje a nossa “convidada” é Ana Paula Vizinho, uma jovem velejadora portuguesa. Participou em 2000, na regata comemorativa dos 500 anos do Descobrimento do Brasil a bordo da caravela “Boa Esperança”.
Em 2002, partiu rumo à Antárctida naquela que foi a primeira expedição portuguesa do género.

Qual a importância que atribui à recuperação do Santa Maria Manuela?
“Recuperar o Santa Maria Manuela é, para mim, dar vida a toda uma memória cultural marítima que correria o risco de ficar esquecida.”

Quais são as suas expectativas futuras?
“Para além do perpetuar da memória (cultural e marítima), o “Santa Maria Manuela a navegar” representará o alargamento do território turístico português além dos 008º30’W. O turismo desportivo náutico existe e espero vê-lo muito mais enriquecido, após o “Bota-abaixo” deste magnífico veleiro que será o Santa Maria Manuela. Não posso negar que aguardo com expectativa a oportunidade de participar numa das suas futuras expedições”

Ana Paula Vizinho

sexta-feira, 9 de novembro de 2007

Com o SMM no coração...

Hoje a nossa “convidada” é a Dra. Ana Maria Lopes, licenciada em Filologia Românica pela Faculdade de Letras de Coimbra, sempre demonstrou um grande amor e ligação ao mar e à sua cultura.Desenvolveu pesquisas no campo das actividades da ria e do mar, numa perspectiva etnográfica-linguística.Na década de noventa, foi Directora do Museu Marítimo de Ílhavo, tendo sido autora de diversos livros e catálogos de exposições cujos temas navegam entre a ria, o mar e as suas gentes.

Qual a importância que atribui à recuperação do Santa Maria Manuela?
“Acho que a recuperação do Santa Maria Manuela um desafio empolgante muito bem entregue nas mãos da dinâmica empresa Pascoal”

Quais são as suas expectativas futuras?
“Além de dar vida a toda uma memória, a pesca do bacalhau à linha, o Santa Maria Manuela, no domínio do turismo cultural marítimo, divulgará o nome da sua Empresa e região além fronteiras.Espero igualmente ver realizadas outras tarefas importantes junto da juventude, das universidades e dos museus marítimos.”

Dra. Ana Maria Lopes

Fotografias Outubro/Novembro II


Fotografias. João Margalha

quinta-feira, 8 de novembro de 2007